Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

AQUI HÁ GATA...

Ai há, há!


Sexta-feira, 01.02.13

Uma perguntinha...

Se há camas a mais nos hospitais, por que raio é que a minha avó, há um ano, depois de dar entrada nas Urgências com uma pneumonia muito séria (ainda hoje não se lembra de nada daqueles primeiros dias), teve que ficar não sei quantos dias numa sala dentro das urgências a que eles chamam SO (Sala de Observação), que é, basicamente, uma sala onde eles põem os doentes que não têm cama para o internamento? Por que é que ela ficou não sei quantos dias nessa sala, numa coisa a que não se pode chamar cama e que lhe provocou várias feridas (o colchão é muito fino, aquilo é tipo uma maca), onde só podia ter visitas a determinadas horas do dia (muito restritas) e durante muito pouco tempo (afinal aquilo ainda faz parte da urgência)? E, já agora, quando finalmente teve lugar numa enfermaria, por que é que quase no dia seguinte, e muito pouco tempo depois de lhe terem tirado o oxigénio, já lhe queriam dar alta, ainda a mulher não se segurava nas canetas? Aqui valham-nos as pessoas que lá trabalham e que fazem pressão para que assim não aconteça, nomeadamente, a enfermeira que foi falar com o médico. Resposta para todas estas questões: há excesso de camas nos hospitais portugueses... E podia dar mais exemplos, mas, como já disse, este assunto dá-me azia...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Smelly Cat às 16:28

Quinta-feira, 31.01.13

Azia

Eu queria falar daquela coisa de termos camas de hospital a mais e de termos que reduzir o seu número, mas é coisa para me dar azia e agora não me apetece nada... Portanto, ficamos por aqui em relação a este assunto (para já!). Vamos antes falar sobre a questão que paira hoje no ar: quem vai morrer no episódio de hoje da Anatomia de Grey? Não percam, já a seguir a um curto intervalo. Até jáaaaaaaa!

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Smelly Cat às 13:31

Quinta-feira, 31.01.13

É a província, pá!

Eu não digo que Portugal é uma imensa província... Lá está... Cidade é Lisboa e, no máximo, o Porto. O resto é província! Quereis ir ao cinema? Quereis? Pois bem, pegai no carrinho (ou no avião, no caso dos Açores) e ide à aventura. Procurai que haveis de achar um...

 

 

Brevemente, no sítio onde estavam as salas de cinema é provavel que encontreis uma Zara ou qualquer outra loja do grupo Inditex. Comprai, comprai... Quereis cultura? Ligai a RTP e vede o TVRural, sim? Assim com'assim, qualquer dia temos que nos dedicar todos à agricultura... Pois então o melhor é irmos aprendendo qualquer coisita e treinando nos vasos da varanda de casa...

Agora podeis ir...Já derramei todo o meu fel matinal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Smelly Cat às 08:49

Quarta-feira, 30.01.13

Segurança Social + Finanças =

Demasiado desespero para um só dia. Mas passo a palavra à Dra Mafalda, que explica estas coisas muito melhor do que eu e com mais eloquência:

*Desculpinhas pela má qualidade da imagem.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Smelly Cat às 18:43

Quinta-feira, 10.01.13

É este o exemplo que queremos seguir?

Acabei de ler esta notícia no jornal Público. O FMI recomenda que se subam, ainda mais, as taxas moderadoras dos cuidados de saúde que, no caso das urgências hospitalares, poderão chegar à bela quantia de 40 euros. Sim, leram bem, o dobro do que já é praticado. Sinceramente, não sei para onde é que este país vai. Achar que ainda se paga pouco pelos cuidados de saúde é mesmo de quem não conhece a realidade. Caminhamos para a americanização do sistema de saúde. E isso preocupa-me muito. É este o exemplo que queremos seguir? A sério? Um país onde a maioria da população não tem acesso a cuidados de saúde, onde esta é um mero negócio em que o lucro é o mais importante? Milhares de pessoas, com seguro de saúde, vêem os cuidados de que necessitam serem-lhes negados por serem demasiado caros. Muitos milhares não conseguem sequer acesso a um seguro de saúde, seja por não terem emprego, seja por padecerem de alguma doença (?). É este o exemplo que queremos seguir? É? O exemplo de um país onde aqueles que socorreram as vítimas do World Trade Center e que, por causa disso, ficaram com problemas de saúde muito graves, lhes vêem ser negados medicamentos e cuidados de saúde? O exemplo de um país em que um homem perde alguns dedos de uma mão por causa de uma serra eléctrica e, havendo a possibilidade de os repor cirurgicamente, tem que decidir quais é que lhe fazem mais falta porque o seguro de saúde só cobre a reimplantação de alguns deles?????? Estes são apenas alguns dos exemplos apresentados por Michael Moore em Sicko, um documentário sobre o sistema de saúde americano, que nos deixa de queixo caído.

Quando, em Portugal, se debate o sistema de saúde e os seus custos, levantam-se sempre vozes que dizem que este não é financeiramente viável. Não é viável? E que tal estudarem exemplos de países em que, comprovadamente, se verifica que é? Nem falemos de países nórdicos, porque esses são um campeonato à parte. Eu falo de sistemas de saúde de países como Inglaterra ou França... É possível sim! O problema de Portugal é o chico-espertismo, o oportunismo, a má gestão de recursos...

Este documentário de que falei é imperdível e julgo que se consegue ver na íntegra no YouTube. Põe o dedo na ferida de uma forma que não nos deixa indiferentes.

Repito, é este o exemplo que queremos seguir?

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Smelly Cat às 14:17


Mais sobre mim

foto do autor


Smelly Cat

O meu lema é: devagar, devagarinho e pela sombrinha. Preguiça é o meu nome do meio. Sou roliça e bato em quem disser que sou gorda! Sou dona e senhora do meu focinho e não gosto que se metam comigo...

Contacto

aquihagata@gmail.com

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Estou a ler...




Este blog é fã da Mafalda!

Ela é que devia mandar nisto tudo!...